O que fazer em Ponta Grossa – Buraco do Padre

Foi a primeira vez que eu acampei fora do estado. Também foi a primeira vez que eu acampei no frio mas isso eu conto mais pra frente. A única cidade que eu conhecia do Paraná era Curitiba, passei 3 dias lá esse ano (vem ver o que eu fiz por lá clicando aqui) e era só isso. Mas aí, uma grande amiga chamada Bell me convidou para desbravar Ponta Grossa, e eu pensei “por que não?“. O combinado era sair as 3h, sim, madrugamos e fomos muito pontuais, as exatas 3 horas estamos a caminho da famigerada, da desconhecida, da incrível Ponta Grossa.

Bell e Adri, companheiras dessa aventura

De Blumenau até lá são longas 6 horas, mas que passadas em boa companhia se transformam em ~quase~ minutos e as 9h já estávamos chegando na cidade, a estrada até lá é muito bonita.

Fomos direto para o buraco do padre, ele faz parte do Parque Nacional dos Campos Gerais (que descobri que é gigante!), para entrar no Parque o ingresso é R$16 e esse ingresso te da direito  de passar o dia inteiro lá, ele tem uma infraestrutura muito boa.

Nós fomos com um grupo que faz trilhas, o Anunnaki Trilhando, e eles contrataram um guia para mostrar tudo o que o parque tinha para oferecer, todas as trilhas etc, o grupo não é uma empresa. Eles são amantes da natureza e curtem desfruta-la com consciência e atentos a sua preservação.

Grupo Anunnaki Trilhando

Apesar de irmos com esses grandes aventureiros, eu e o Bruno optamos por não fazer as trilhas porque eu tenho um problema nas costas e tenho medo de fazer grandes esforços, então eles seguiram “viagem” e nós ficamos na entrada do parque. A entrada do parque consta com um super gramado, banquinhos e banheiros. Também existe uma lanchonete e quiosques para churrascos.

Como a nossa última refeição tinha sido de madrugada, estendemos a toalha e fizemos um picnic. Levamos de casa sanduíches prontos, chá, frutas e amendoim. Após recarregar as energias fomos em busca do Buraco do Padre (o legítimo!), o buraco foi batizado assim por causa dos padres jesuítas que utilizavam o local para meditar. Lá existe uma cascata de 30 metros de altura, que desce em um buraco.

Para chegar lá, você pega 1 km de trilha, bem tranquila, bem guiada. Essa trilha passou por uma reforma recentemente e hoje o acesso também é feito para cadeirantes.

Trilha para o Buraco do Padre
Mini cachoeira no meio da trilha

Após 20 minutos de trilha, a surpresa.

Eu havia visto fotos antes de ir, mas a sensação de estar lá é indescritível. Acredito que morar na cidade faz a gente esquecer de como a natureza é perfeita, de como ela é imensa e de como ela é única. Conforme eu fui entrando na caverna, meu coração foi acelerando e a emoção tomou conta. Eu tenho 1.85 mas naquele momento me senti pequeninha. Era eu, o barulho da água caindo e os pássaros em um lindo canto. Fechei os olhos, e agradeci. Sério. As fotos não conseguem mostrar 20% do que é aquilo.

Depois de contemplar a natureza, fomos conhecer a Fenda da Freira. Mas isso conto semana que vem! Alguém já foi para lá?

Quer saber como foi com mais detalhes? Confirma o vídeo no meu canal!

Compartilhe

Deixe uma resposta